Alarmes Contra Intrusão

Dispositivos que geram um sinal sonoro caso um de seus sensores seja acionado.

Sistema composto por central de alarme que pode ser acionada por controle remoto ou através de teclado. A essa central são ligados sensores que vão provocar disparo de sirene, estando a central armada. Este sistema ainda pode ter acessórios que permitem o monitoramento à distância com simples discagem para numero de telefone cadastrado ou para envio de eventos a empresa de monitoramento.

Os sensores podem ser magnéticos, infravermelhos passivos e infravermelhos ativos:

Magnéticos: compostos por sensor do tipo reed switch e por um imã que fecha o contato do reed quando próximo a ele. Os sensores magnéticos possuem encapsulamentos especiais para serem embutidos ou sobrepostos na janela ou porta;

Infravermelhos Passivos (IVP): são sensores de movimento que são acionados pelo movimento de calor sobretudo. Os mais comuns pegam qualquer movimento dentro de sua área de detecção e acionam seu relê. Existem modelos que não captam movimentos de pequenos animais domésticos e são chamados de sensores do tipo PET. Existem também modelos com sensores de microondas e modelos de IVP para uso externo.

Infravermelhos Ativos (IVA): são os sensores de barreira que são compostos por um par de dispositivos. Um é chamado de emissor que somente precisa de alimentação 12Vdc e o outro é chamado de receptor, que é alimentado e tem um relê que aciona o alarme. O disparo ocorre quando algo corta o sinal que vai do emissor ao receptor. A maior diferença entre os modelos de IVA é a distancia máxima de alcance (distância entre emissor e receptor).

Quanto aos métodos de monitoramento podemos citar:

Discador Telefônico: equipamento ligado à linha telefônica comum fixa que recebe sinal da central de alarme e disca para o número do morador cadastrado na sua memória. Este equipamento nas centrais atuais já vem integrado. Mas para centrais antigas ele pode ser adquirido à parte.

Discador Telefônico GSM: como as ligações a partir de discadores de alarmes são geralmente para números celulares e normalmente a tarifa de ligação de celular para celular é menor, esse equipamento tem se popularizado. São equipamentos que possuem um aparelho celular GSM incorporado e que ao receber o sinal de disparo disca para números programados na memória do próprio aparelho. Em equipamentos mais recentes, o próprio funciona como aparelho e recebe somente o chip da operadora. Nesse caso podem inclusive enviar mensagens SMS.

Empresas de monitoramento: tais empresas cobram uma taxa mensal para monitorar o alarme de seus clientes e enviam um vigilante caso ocorra um disparo no local. A central deve ser dotada de algum sistema de envio de eventos: nativo ou como acessório. O mais comum é utilizar a linha telefônica fixa, onde os eventos (arme, desarme, disparo, bateria baixa…) são enviados utilizando protocolos específicos de comunicação e recebidos por uma central receptora de eventos. Basicamente, a central do cliente liga para o número da central receptora e envia os eventos. Para não utilizar a linha telefônica comum também podem ser usados, para envio de dados, rádios de radiofrequência específicos ou ainda envio via GPRS, um protocolo de envio de dados da telefonia Celular.